By Ana Bailune
"Toda a arte é completamente inútil." -  Oscar Wilde
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
07/11/2012 08h22
SONHO


SONHO

 


 

 

 


 

 

 


Minha mãe aparece carregando uma bolsinha de papel, estampada de flores miúdas, com algumas roupas dentro. Está triste. Diz: "Não vou passar o natal com vocês. Vou viajar." Eu pergunto: "Mas por que, mãe? Eu quero passar o natal com você!" Ela começa a chorar, e neste instante, percebo que seus olhos estão vermelho-sangue, e ela chora lágrimas de sangue.

 

 


 

 

 


Me desespero, e a abraço, chorando também, e pedindo que ela fique. Ela parece estar partindo a contragosto. Chora também (na vida real, acho que só vi minha mãe chorar uma única vez). Ela diz que não pode ficar.

 

 


 

 

 


Já estou desesperada, mas ela só repete que não pode ficar. 

 

 


 

 

 


Desperto, as suas últimas palavras no sonho ecoando em meus ouvidos: "Não posso ficar, mas não se preocupem. O pai tem planos pra vocês." Desperto totalmente, pensando no que ela quiz dizer, já que meu pai morreu há quase trinta anos. Depois eu penso que de repente, ela pode estar falando do Pai, e não do pai.

 

________________________

 

14/12/12 - Minha mãe está muito doente, e tenho medo de que o sonho se cumpra. Uma situação que começou como uma cirurgia simples, e as portas para realizá-la foram se fechando a cada dia, apesar de meus esforços e dos esforços de outras pessoas. Chegamos a uma situação caótica, na qual ela terá que passar por uma cirurgia arriscada em um hospital sem recursos. 

 

22/12 - A CIRURGIA FOI FEITA, E TUDO DEU ERRADO. ELA ESTÁ COM HEMORRAGIAS NO LOCAL DA CIRURGIA, E MUITAS DORES - OS MÉDICOS NÃO CONSEGUEM ESTANCAR A HEMORRAGIA, E QUEREM ENTUBÁ-LA. tOMAMOS A DECISÃO DE DEIXÁ-LA SEDADA, MAS SEM ENTUBAÇÃO. A HEMORRAGIA: AS LÁGRIMAS DE SANGUE DO SONHO.


Publicado por Ana Bailune em 07/11/2012 às 08h22
 
09/10/2012 16h21
Eclipse

Sonho: Eu estava levando uma visita ou uma aluna até o portão, não me lembro quem era. Mas ainda era de manhã cedo. Outro aluno estava ao portão, esperando para entrar. Ele era negro. Quando ele entrou e a menina se despediu, a manhã começou a ficar cada vez mais escura. Tão escura, que chegou ao ponto de eu não consguir mais chegar até a porta de entrada da casa.

 

Comentei com o rapaz que aquilo deveria ser um eclipse, e ele respondeu: "Eu acho que é o fim do mundo."

 

Segundo meu livro de sonhos, sonhar com um eclipse representa preocupação consigo mesmo, em referência a saúde, ou com algum membro da família ou conhecido. Tem tudo a ver.


Publicado por Ana Bailune em 09/10/2012 às 16h21
 
24/08/2012 07h00
Dois Sonhos


Sonho 1 - Eu estava em uma cidade onde havia duas árvores enormes, cujas copas tinham sido queimadas até a destruição. Alguém falava sobre sons de sinos que ouviríamos dentro de nossas cabeças quando as árvores estivessem para tombar - pois havia seres responsáveis por levar o que não servia mais. De dentro de uma loja, eu de repente ouvi os sinos, e o ruído característico quando uma grande árvore tomba, e fiquei nervosa, pois de onde eu estava, não podia ver a árvore e não sabia onde ela iria cair. Um enorme estrondo, e o enorme tronco cai na calçada em frente ao lugar onde eu estava. Em seguida, a mesma coisa acontece, e a segunda árvore tomba, também com enorme estrondo. Penso: "Renascimento. Renovação." Desperto com os cães do vizinho latindo muito.

 


 

 

 


Sonho 2 - Eu abraçava meu sobrinho falecido, mas ao mesmo tempo, não era ele, era apenas uma lembrança dele em carne e osso. Ele não falava. Vestia uma camiseta branca, tinha a exata aparência do meu sobrinho (antes de ficar doente). Ao meu lado, uma senhora abraçava uma outra pessoa, dizendo-me: "Não são eles de verdade, mas pelo menos, a gente pode matar as saudades." Acordei me sentindo demasiadamente melancólica. Fiz uma oração para ele.

 

 


 

 

 


Interpretação:

 

 


 

 

 


 

 

 


Sonho 1- Acho que é clara: alguma coisa velha, que não tem mais propósito, será ou precisa ser destruída, tombada, pois uma árvore sem copa, queimada e morta, não tem função. Eram duas árvores, então serão duas coisas. Se eu mesma não o fizer, a vida (os 'seres' ) o farão. Claro, haverá momentos de insegurança (o medo por não saber onde as árvorees iriam cair). Mas no final, ficaram as duas palavras: "Renascimento. Renovação." Uma nova árvore brotará.

14/12/2012 - RE-INTERPRETAÇÃO - O sonho das árvores: minha mãe e meu cunhado muito doentes hoje. Ela, a primeira árvore - matriarca da família; ele, a segunda árvore, o cunhado mais velho.

 

 


 

 

 


Sonho 2- apenas um sonho sobre saudade. Uma maneira inconsciente de matar saudades. Mas eu sei que agora ele está tão longe, que não virá mais, nem em sonhos.

 


Publicado por Ana Bailune em 24/08/2012 às 07h00
 
13/08/2012 16h53
Sonho - Aranhas


Aranhas. Muitas aranhas. Estou no meio delas, tentando não ser picada. Meu marido olha de longe, apavorado, tentando guiar-me além das teias. De repente, uma delas, do tamanho de um poodle grande, vem em minha direção. É peluda e gosmenta, muito horrível, e eu tento correr, mas ela me persegue.

 


 

 

 


Vejo quando minhya mãe a segura contra o chão, segurando-a com força com a mão, prendendo-a. Fico mais apavorada, com medo que ela pique minha mãe, que diz: "Não se preocupe, ela está bem segura."

 

 


 

 

 


Como sempre, acordo apavorada.

 

 


 

 

 


Interpretação: sonhar com animais depende... se gostamos deles, o sonho é bom, mas se forem animais que não gostamos ou que tememos, não é bom. A aranha é um dos meus maiores medos. Fobia, mesmo. Acredito que ver uma das grandes correndo atrás de mim, é uma maquinação muito grande que tramam contra mim, mas eu estarei protegida, pois minha mãe conseguiu impedí-la.

 


Publicado por Ana Bailune em 13/08/2012 às 16h53
 
20/07/2012 10h50
Sonho - Unhas


Sonhei que cortava minhas unhas até bem rentes ao sabugo. Elas eram imensas, descomunais, e os enormes pedaços caiam no chão enquanto eu as cortava. Pareciam pedaços de canecas de plástico, de tão grandes. E os sabugos das unhas ficavam à mostra.



 



A tesoura que eu usava também era imensa, mais parecia uma tesoura de grama. Nem sei como eu conseguia cortar as unhas com ela, mas conseguia!



 



Acho que o sonho me diz que tenho que aprender a usar as ferramentas certas para os propósitos certos; controlar um pouco minha fúria diante de certas situações, ou aprender a adequá-la às situações. Não eliminar minha fúria forçadamente, quando ela for justificável (sabugos à mostra doem), mas manter as unhas limpas e bem aparadas.



Publicado por Ana Bailune em 20/07/2012 às 10h50



Página 4 de 5 1 2 3 4 5 [«anterior] [próxima»]

MATURIDADE Ana Bailune R$11,55
O JARDINEIRO SONHADOR & OUTRAS CRÔNICAS Ana Bailune R$4,34
LIXO EXISTENCIAL - AMOSTRA Ana Bailune R$1,00
SEMPRE CADA VEZ MAIS LONGE Ana Bailune R$2,00
A Ilha dos Dragões Ana Bailune R$7,00
Vai Ficar Tudo Bem - ESGOTADO - Disponível na... Ana Bailune R$2,00
Site do Escritor criado por Recanto das Letras